Servidores Antigos: O que fazer com o legado?

DICA!

Servidores Antigos:
O que fazer com o legado?

 

Que tal aproveitar servidores antigos para criar uma nuvem privada onde podemos, não só usar como uma alternativa de replicação do ambiente de produção, mas também disponibilizar novos serviços para a empresa.

O desenho que sugiro é esse:

modelo

Obs.: se é uma redundância, é bom que esteja longe….  bem longe….  :)

A Replicação é dolorosa no começo, a primeira vez. Vai demorar dependendo da VM que será replicada. Logo, recomendo fazer uma por vez. Após isso, as próximas replicações serão curtas e somente os dados novos serão enviados para o site 2. No nosso exemplo, ha os vmdks que são os discos e depois ( as instâncias ) os vmdks bem menores, porque neles ha somente dos dados que diferem do vmdk principal.

Temos a opção também de determinar quantas instancias ( cópias do servidor ) queremos manter. Para o servidor de BD, pode ser feito o sincronismo de 15 em 15 minutos e guardar duas instâncias por dia  e mantê-las por 5 dias. Ou seja, em 5 dias, teremos 10 instâncias da VM, sendo duas por dia. E a última instância está em apenas 15 minutos de diferença com a VM em produção.

É claro que não eh o melhor dos mundos, isso é óbvio. Mas VM´s como AD, ERP, Arquivo, WEB, e tantos outros que esse tipo de replicação pode atender?

 

Para dar vida a essa tecnologia, vamos precisar de :

 

Após a instalação e configuração, você terá um novo site para, tanto replicar quanto poderá ter espaço para criar ambientes de testes ou até servidores temporários para arquivos ( ou qualquer coisa que precisar )

 

Utilizo para

* Replicar todas as VMs. Até porque, vou mostrar em outro post, que subir uma VM aqui eh rápido demais e o VMware garante a compatibilidade  mesmo sendo servidores distintos em hardware ( isso é show :D   ). Testei o Banco de dados MS SQL Server  e o ERP SAP B1.
* Criar um maquina virtual para servir de servidor de arquivos secundários, que não demandam backup
* Ambiente de teste

 

Outro dia publico sobre como fazer a replicação.

Assim que sobrar um tempo :)

 


ERP – Algumas dicas que ajudam na implantação

Implantação de ERP é ruim, mas troca pode ser pior ainda   :D 

Não é um tutorial e sim “dicas”.

Segue esse post com algumas dicas para que esse projeto seja o menos traumático possível.

LOUCO1-600x300

Dica 1: “Primeiro contrate um bom contador, depois pense no ERP”

Roberto Duarte, em um post sobre o assunto, aborda algo que poucas empresas se preocupam, mas que é crucial na hora de escolher um ERP. Não há como pensar em ERP se o contador não tem know how para se adaptar as grandes mudanças que a troca de um ERP traz as empresas e até mesmo para fazer um bom uso do sistema.

Dica 2: “Cuidado com os módulos, desenhe seus processos”

Exemplo: Quero tomar sorvete na casquinha. Compro o módulo que Faz Sorvete. Posso tomar sorvete? ainda não. Compro o “Módulo Casquinha”. Posso tomar sorvete? ainda não, porque o modulo ” pá de sorvete ” é o  módulo integrador entre o sorvete e a casquinha.

Então desenhe todos os processos ou mantenha completo envolvimento com quem vai desenhar os processos. Se os processos não refletirem a realidade da empresa, desista do projeto. Porque como comprar um produto que não sei se vai atender as necessidades da empresa? E quando não funcionar, o primeiro a ser chamado para “resolver” é a TI da empresa. Com os desenhos em mãos, serve como documento para homologar o ERP na faze de testes, até porque, será testado o que está no desenho, certo?

Dica 3: Os usuários do ERP querem a troca ?

Se a resposta for não, lascou! São eles que irão usar. Se o cliente do ERP não entender a importância da troca/implantação, como a implantação terá sucesso? Quando os clientes do ERP desejam a troca, aí o projeto passa a ser deles também. Entendeu a mágica? Workshop com usuários chave de cada setor ajuda e muito a conseguir algumas resposta, e a principal delas é se o sistema serve a realidade da empresa.

Dica 4: Horas de treinamento

Aqui pode acontecer uma economia interessante. Eu disse que “pode ocorrer”.

Ao invés de treinamento baseado em simulação, realizar tarefas pode ser mais preciso. Até porque, o usuários já vai ficar por conta dessa “tarefa/treinamento”, então, elaborar tarefas baseado no dia a dia que o usuário viverá com o uso do sistema. Uma experiência legal que tive foi, nessas tarefas, mostrar ao cliente do sistema as vantagens de usar o novo ERP. Isso motivou os usuários a terminar as tarefas o mais rápido para ai ao “go live ” o mais rápido possível.

Graça e Paz

Rodrigo Duda


Helo word que nada, melhor é John 3:16

2012-01-03-250

Primeiro post: John 3:16

For God so loved the world that he gave his one and only Son, that whoever believes in him shall not perish but have eternal life.
Graças a Deus, meu primeiro post !


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 307 outros seguidores